C49-186 A peleja do brincante para ajudar a brincar | Evaldo Brasil | Esperança/PB


(De como quebrei a regra durante um quebra-panela)
I- Relato agora um fato/ Que pode parecer causo/ Ocorrido que se deu/ Do planejado ao acaso/ Uma briga por alimento/ Entre o riso e o lamento/ Me recordaria o caso:
II- Em plena ação cultural/ Na semana do folclore/ De uma trupe genial/ Ano de oitenta e nove/ O esforço se repetia/ Naquilo que se fazia/ Sonhador que se renove
III- Entre tantas brincadeiras/ Promovidas lá na praça/ da Cultura por bandeira/ Quebra-panela na raça/ Oficina de pintura/ Parecia uma loucura/ Coletiva ou de cachaça
IV- Unidas por uma corda/ Duas hastes levantadas/ Serviriam de escora/ Pras crianças exaltadas/ Era preciso brincantes/ Evitarem num instante/ A queda da pendurada
V- A panela que oscilava/ Aumentava o seu pesar/ Até que algum pestinha/ Por mim quis lhe alcançar/ A coisa saiu do trilho/ Se não fosse pelo brilho/ Dos óculos (eu) ia apanhar
VI- Eu usava o que era moda/ Uma calça quadriculada/ De elástico e uma cueca
De copinho, amarelada/ Parecia estar no osso/ E foi naquele alvoroço/ Que ela ficou afamada
VII- Na peleja do brincante/ Para ajudar a brincar/ Fiquei de bunda pra cima/ Farol aceso a clarear/ A gargalhada foi certa/ A gurizada era esperta/ E a panela? Eu sei lá!
Evaldo Pedro da Costa Brasil

(Em 12 de maio de 2015)

Comentários

Destaques

Arquitetura | Esquina de Bento Torres | AM

Registro | Alagamentos 2011 | CAPU*

Especial | Símbolos Municipais 3 | LG*

Personagem | Bispo Francisco Menino | BJTH*