C49-027 No namoro de hoje em dia só dão elas

Do filme: Rango
(Quem tiver seu pinto em ovo que das raposas proteja)
I - Nos tempos de antigamente/ Isso era muito complicado/ Pois as mocinhas viviam/ Como presas num cercado. E era uma grande agonia/ Quando elas então queriam/ Se arranjar com o namorado.
II - Hoje as coisas estão mudadas/ Apesar de algumas agonias/ Que certos pais ainda vivem/ Com as andanças das gurias. Se vão encontrar as amigas/ É certeza, vai haver brigas, E o pai grita: Isso é pras lias!
III - Mas já se foi aquele tempo/ Do velho ditado machista/ “Quem tiver suas cabritas… (Dizia a fala dos farristas) …que cuidem! Meus bodes/ estão soltos”. Se podes, Perceba hoje, pelas pistas!
IV - Guaxite, raposa, galinha, É como a menina é tratada/ Quando avança num menino/ Vai sem ter medo de nada, Se atraca e, feito uma gata, No telhado, quando engata, Pega o condão como fada.
V - E quando ela é das taludas/ Mesmo novinha na idade/ Mete um medo, faz tremer, Intimida, e sem maldade. E tem aquele que corre… E tem aquele que morre/ Achando que é raridade.
VI - E se for um professor/ Mesmo que seja casado/ As alunas fazem chantagem/ “Casou, mas num ‘tá capado!” E se o coitado for solteiro/ E não lhes servir de poleiro/ Dizem logo: – É desviado!
VII - Se você vir bater de asinha/ Não pense só que gracejam/ Diante de uma danadinha/ Qualquer um vira, se pelejam, Um frangote, menino bobo e, Quem tiver seus pintos em ovo, Que das raposas, os protejam.
Evaldo Pedro da Costa Brasil
(Em 10 de Março de 2008)

Comentários

Destaques

Arquitetura | Esquina de Bento Torres | AM

Registro | Alagamentos 2011 | CAPU*

Especial | Símbolos Municipais 3 | LG*

Personagem | Bispo Francisco Menino | BJTH*