Ontem à noite


Ontem à noite
Sonhei que estava numa assembleia
Ontem à noite
Sonhei que fazia uma prolongada prece
Ontem à noite
Sonhei que orava numa língua diferente
Para gente diferente em um mundo diferente
Ontem à noite
Me via numa assembleia onde era centro
Ouvido por todos em silêncio
Ecoava aos quatro cantos palavras de agradecimento
Ontem à noite
Dizia do mundo verdadeiro que nos espera, por derradeiro
De um mundo onde não há dinheiro
Onde anjos somos todos nós
Ontem à noite
Sonhava e sentia o bem que faz bem a quem faz
A certeza que a luz viria, inevitavelmente, se sobrepondo à escuridão
Ontem à noite
Quando nossas trevas já não tinham vez nem voz
Quando não mais medo nem segredos
Tudo claro tudo luz tudo alegria...

Acordei e um amigo chorava a partida de outro que tão bem lhe cuidava

Evaldo Pedro Brasil da Costa
Esperança, em 05 de janeiro de 2013

Comentários

  1. A poesia de EBrsil renasce, ontem hoje e sempre!
    Parabéns e um forte abraço,

    Att.

    Rau Ferreira

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Destaques

Arquitetura | Esquina de Bento Torres | AM

Registro | Alagamentos 2011 | CAPU*

Especial | Símbolos Municipais 3 | LG*

Registro | Alagamentos 2017 | CFCC*