C49-131 Paixão de Cristo 2010


(O fantasma do enforcamento assusta qualquer ator)

I
O convite foi aceito
E só um medo me veio
A lembrança que receio
Do enforcamento malfeito
Por isso uma discussão
Dos motivos e da razão
Da forca que deu defeito.

II
O fantasma assustador
]Perseguiu por todo ensaio
A lembrança do desmaio
De Netim, um bom ator.
Quando fizera um Judas
Foi um deus-nos-acuda
Com a corda que o enrolou.

III
Apesar do ocorrido
Pouco se fez pela forca
Pois uma correria louca
Não me faria prevenido.
Uma corda improvisada
Estava mal posicionada
Lancei-me no escurecido...

IV
E com os olhos fechados
Mergulhei de grampo preso
E quase que me vejo teso
Com meu joelho lascado.
O movimento pendular
Acabou por me lançar
Direto num pau serrado...

V
Feliz por ter escapado
Sorria alegre com a dor
Reconhecendo o valor
Do pouquinho planejado,
Da equipe que se juntou
Para ajudar pobre ator
No ato mais arriscado.

VI
Ao cuidado não tomado
Somo a prece precedida
Perante arriscar a vida
Num ato desajustado
Deixa só, aquela noite,
O saldo de um açoite:
Um joelho arrebentado.

VII
Mas ao apagar da luz
Do abraço do apoiador
Eu esqueci toda a dor
Outro figurino eu pus:
E fui fazer figuração
No meio da multidão
Perante Cristo na cruz.

Evaldo Pedro da Costa Brasil
(Em 04 de Abril de 2010)

Comentários

  1. Parabéns meu caro, de volta a ativa!
    Seria interessante uma foto do próprio ator em cena. E se me permite uma correção, na segunda estrofe do número II tem um sinal "[".
    Outra coisa, posso republicar no blog?
    Um forte abraço;

    Rau Ferreira
    Blog: "História Esperancense"
    http://historiaesperancense.blogspot.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Destaques

Arquitetura | Esquina de Bento Torres | AM

Registro | Alagamentos 2011 | CAPU*

Especial | Símbolos Municipais 3 | LG*

Registro | Alagamentos 2017 | CFCC*