Postagens

Mostrando postagens de 2008

Reservado | Santa (nha fidjo fémia)

Cultura & Arte | Síntese de uma estória sem começo nem fim | Reflexões

Por Evaldo Brasil** - “Esperança foi grande quando pequena”. Esta afirmação atribuída a Silvino Olavo pelo professor Nino Pereira vem a calhar para falar dos aspectos culturais de Esperança. Como a grande maioria das cidades brasileiras, não tem e nunca teve um plano de ação cultural. Portanto, circularemos entre o pouco que temos e o que já tivemos, passeando nos campos da história e da saudade. O teatro mantém uma relação íntima com a escola, onde participar de um “drama” organizado pela professora foi motivo de orgulho, principalmente se for em grupo de catequese, montando peças bíblicas, caso em que preconceitos não vêm à tona. Por isso, hoje, a “Paixão de Cristo”. Mas, a professora areiense Donatila Lemos de Melo, por volta de 1953, deu os primeiros passos na dramaturgia local. Ela selecionava entre alunos os mais desenvoltos, de melhor dicção e expressividade para, com eles, montar textos dela. Normalmente de caráter didático-instrutivo, prezava pela evocação dos tipos brasile…

Reservado | Paulito's Dance

Reservado | Brilhando fora do circo

Performance | A Muganga do Siri Barbado | EBCJ

Imagem
2008
NOV08 Se todo mundo faz a dança do siri, por que não Nando Reis Cover? IMAGENS: Celestino Junior (Filmado com um Nokia 2630).  Editado originalmente via Windows Movie Maker. Reeditado via YouTube.

Onal X Ucueivampiro | Vídeo | Exercício de edição

Imagem
Um dos primeiros exercícios de edição

C49-101 Reencarnação: Justiça Divina

(Tenha-se como precisa a prova do Deus Bondade)
I- Um princípio da doutrina/ Se destaca entre os cinco/ E se impõe com afinco/ Verdadeira obra-prima! A metempsicose passou/ A outro nível se chegou/ O Espiritismo nos ensina. II- Nas mais antigas filosofias/ Esse dogma se apresenta/ Como também se comenta/ Enquanto palingenesia. Entre gregos e hinduístas/ Hebreus e mesmo budistas/ O renascimento se sucedia. III- Diversos estudiosos/ Estudam esse princípio/ Sem cair em precipício / São todos laboriosos. A cada caso confirmado/ Fica mais que comprovado/ Só não para os orgulhosos! IV- A despeito da Divina Lei/ Não propriedade exclusiva/ Da Cristandade rediviva/ Diria nosso Celeste Rei: – Uma vida só não basta/ Pro espírito que se arrasta/ Pra perfeição que apontei! V- A bênção da Justiça Divina/ Nos permite, sem castigo,/ Conformar um novo abrigo/ Afirma a nobre doutrina. E a cada reencarnação/ Caminho de redenção/ Se refaça em obra-prima. VI- A pedido ou compulsória/ A nova oportunidade/ Reorie…

C49-099 A Bondade de Jesus

(Perdoaria tudo e todo irmão, nos religando à divindade)
I- A luz dissipava a escuridão/ No caminho de Jerusalém/ Jesus seguia em sua missão/ Conduzindo tudo pro bem! Era o santo amor do mestre/ Que se anunciava no agreste/ Pra ontem, hoje e para além. II- E a algazarra da multidão/ Anuncia a páscoa hebraica/ Uma pequena aglomeração/ Oportunizara Jesus à prática/ Do bem que só ele trazia/ Pra todo aquele que se via/ E vivia uma vida dramática. III- A mulher sofrida, chorava,/ Atirada aos pés de Jesus/ Diante dele, se acalmava,/ Sentindo o bálsamo em luz. Doutores preparavam trama/ Pra ver se atira Jesus à lama/ Mas ele sequer temia a cruz! IV- Os doutores, por Moisés,/ Lançam ao Mestre desafio/ E nisso então fincam pés/ Mas Jesus desenha um fio: Calmo na terra ele escreve/ E para o futuro prescreve/ Em atitude de grande brio. V- Ele valorizava as mulheres/ Isso era de todos, já sabido: Daí, jamais, dele se espere,/ Ação em tom de descabido. Só aquele que, sem pecado,/ O direito tenha conqu…

C49-097 O Poder da Prece Sentida

(Frutifica em nós valores… remedia todas as dores)
I- O nosso verdadeiro ser/ De três camadas se faz/ O corpo grosseiro nosso/ Ajunta-se a duas mais. Nosso espírito essencial/ Para se unir ao carnal/ Uso o perispírito, aliais. II- Nosso verdadeiro sentir/ Reside lá no espiritual/ E o que a alma incomoda/ O faz ao corpo carnal. Nessa via de contato/ Sente a alma pelo tato/ Graças ao perispiritual. III- E o mau gerenciamento/ Do corpo, o nosso altar,/ Vem causar o sofrimento/ A nosso espírito que está/ Unido por uma trindade/ Pedindo, pela caridade,/ Uma prece para evitar. IV- Evitar um mal sentido/ Que nos possa magoar/ Evitar ser maculado/ E a alma assim manchar. E o efeito somático/ Se evite com um prático/ Momento para se orar. V- Evitar um mal no corpo/ Que possa desanimar/ Evitar ser deprimido/ E do corpo mal cuidar. E um efeito psíquico/ Só se evita se pratico/ Recolhimento a rezar. VI- A prece é uma ligação/ Com o nosso criador/ Pra pedir e agradecer/ Ou mesmo para louvor. Se isso nós…

C49-094 O Trem da Evolução Conduz Tudo

(Pode nos dar consciência e ter o bem por natureza)
I- Tudo segue a diante / Independente da gente/ E a gente pára perante/ O astro rei no poente. Embora o ciclo se faça,/ Espaço e tempo ele traça/ E cada dia é diferente. II- O trem da evolução/ Conduz tudo que existe/ Sem qualquer apelação/ Renova no que persiste. Em nos conduzir além/ Até quem se acha aquém/ Nada contra lho resiste. III- E o que parece ruim/ Amanhã se mostra bom/ E a dor agora em mim/ Amanhã terá novo tom. É que nossa compreensão/ Se limita a tal condição/ Que não ouvimos seu som. IV- Imagine o seu apito/ A soar sempre imponente/ Ou mesmo o seu agito/ A mostrar-se tão potente. Locomotiva qual trem-bala/ Em propulsão sem escala,/ Nos levando ao oriente. V- E o seu corpo se estende/ Pela sua linha férrea/ Ou suspenso por agente/ Condutora, quase aérea. Saindo no mais moderno/ Seguindo no rumo eterno/ Na essência, na matéria. VI- E o seu vagão derradeiro/ Pelo estado de atraso/ Ou seu trabalho primeiro/ Condutor de falso aca…

Monumento à Santa Geni

(Quando se deseja um final feliz)

(…) Muitas pedras atiradas
se formou um grande monte
mas Geni de forte fronte
nem sequer se remexeu
E o povo embasbacado
foi olhar o ocorrido
perguntaram se morreu
que será que tinha havido?
Numa posição estranha
entranha aberta pro mundo
uma estátua da Geni
tinha ficado aqui
Conta a estrela lá do céu
que a vira vestindo um véu
casando com um guerreiro
Ela com um jeito faceiro
casada com o zepeleiro
noutro mundo foi morar.
Olha a estátua da Geni
Olha a estátua da Geni
Ela é feita pra se orar
Ela quer no redimir
Não teve falsa moral
Bendita Geni.
Evaldo Pedro da Costa Brasil (Em julho de 1992)

C49-093 O Medo à Luz de Jesus

(Pode nos dar consciência e ter o bem por natureza)

I- Toda palavra traz em si/ Significado e energia/ A cada uma que falamos/ Lançamos como magia/ Sobre nós, a qualquer um/ Esperanças ou lundum… Prefiramos a alegria. II- O medo é um verdugo/ Indivíduo mal-tratante/ Impiedoso a se impor/ Perante seu contratante. Não o alimente, porém,/ Se ele chega e assim vem/ Não estoure em rompante. III- De onde viria esse algoz/ A dominar tanta gente? Viria só da nossa infância/ Só dessa vida presente? Ou das vidas passadas/ Sofrimento e mancadas/ De débito, assim, pendente. IV- Viria o medo de um olhar/ Repressivo da autoridade/ De papai ou de mamãe/ Mesmo sem ser de maldade? Tudo sobre nós se aglomera / Quando se pára e só espera,/ Sem se nutrir na caridade. V- E quando a falta de diálogo/ Associada à intolerância,/ Apoiada em preconceito,/ Nos causa desesperança? Não! Se fitarmos o exemplo/ Dele, ao reclamar no templo/ E retomarmos a esperança. VI- E se nos falta coragem/ Nos enchemos de brabeza/ E e…

Poema | C49-064 Viva o Irmão Mensageiro! Cordel

Imagem
POSTAGEM 030 2008

Poema | C49-035 Jesus Tirando Retrato do Sofrimento da Gente | Cordel

Imagem
POSTAGEM 029 2008

2014

Poema | C49-026 Uma Casa de Esperança e Luz | Cordel

Imagem

Poema | C49-078 Muita Gente Para, Pelo Amor de Deus | Cordel

Imagem
POSTAGEM 027 2008

Poema | C49-007 Mas, de mim, o que seria, se nesse rolo estivesse? | Cordel

Imagem

Poema | C49-072 As lições ocultas de Jesus Cristo | Cordel

Imagem
POSTAGEM 025 2008


Poema | C49-066 O Grande Milagre do Santo de Casa | Cordel

Imagem
POSTAGEM 024 2008


Poema | C49-006 Pelo Menos é Nisso que eu Creio | Cordel

Imagem

Poema | C49-004 Promoção loucura de Natal 1 | Cordel

Imagem

Poema | C49-005 Promoção loucura de Natal 2 | Cordel

Imagem

Poema | C49-003 Prece aos Encarcerados | Cordel

Imagem

Poema | C49-061 A Fórmula da Felicidade | Cordel

Imagem
POSTAGEM 019 2008

Pintura | Viva a Tinta Virtual! 2 | Abstração

Imagem
POSTAGEM 018 2008

Poema | C49-031 Josephus Filli, o filho de Zé Luiz | Cordel

Imagem

Pintura | Viva a Tinta Virtual! | Abstração

Imagem
POSTAGEM 016 2008


Música | Smile (Ridetu) | LDI*

Imagem
POSTAGEM 015 1954 SD Tema de Tempos Modernos, de Charles Chaplin, 1936.  LETRA: John Turner e Geoffrey Parsons, 1954. INTÉRPRETE: Nat King Cole.  TRATO: Evaldo Brasil.

FONTE: Canal Beralts, no YouTube.

1955 SD Versão brasileira, gravada por diversos intérpretes com pequenas variações como "sol" substituído por "céu" e acréscimo de "smile" no final.  LETRA: João de Barro Braguinha. INTÉRPRETE: Diversos.  TRATO: Evaldo Brasil.
1967 SD Versão italiana, gravada por diversos intérpretes.  LETRA: G. Calabrese. INTÉRPRETE: Nicola di Bari.  TRATO: Evaldo Brasil.
1989 SD Versão espanhola, gravada no Brasil.  LETRA: Roberto Livi. INTÉRPRETE: Roberto Carlos.  TRATO: Evaldo Brasil.
1992

FONTE: Canal Gusnietob, no YouTube.


1998 SD *Letras em diversos idiomas. Aqui em Esperanto para o original Smile (Chaplin/Turner/Parsons), considerando a versão brasileira Sorri (João de Barro).  LETRA: E. Brasil/H. José. TRATO: Evaldo Brasil.
...
Uma letra não gravada, em Esperanto, para o clássico u…

Poema | Cordel Socrático-cristão | Cordel

Imagem
POSTAGEM 014 2008

Poema | Do Desvalor da Vida | Quadra

Imagem
POSTAGEM 013




Poema | Ana Amazona | Acróstico

Imagem
POSTAGEM 012

Poema | Declaração de Guerra | Poema

Imagem
POSTAGEM 011
(Fragmentos…)
O que seria da vida Sem o brilho do sol E a beleza da lua?
…seria uma vida fria …seria gelo que sua
Ao vento
…seria pó… – Eu, sem a presença tua?!
Mas tua beleza fria Não é como a da lua Nela tem brilho sol Ela está sempre nua.
Evaldo Pedro Brasil da Costa …do caderno de estudos de 2003.

Frase | A fera tá na tarefa | Palíndromo*

Imagem
POSTAGEM 010
*Um palíndromo é uma palavra, frase ou qualquer outra sequência de unidades (como uma cadeia de ADN: Enzima de restrição) que tenha a propriedade de poder ser lida tanto da direita para a esquerda como da esquerda para a direita. Num palíndromo, normalmente são desconsiderados os sinais ortográficos (diacríticos ou de pontuação), assim como o espaços entre palavras (...)
SAIBA MAIS EM: http://pt.wikipedia.org/wiki/Pal%C3%ADndromo

Desenho | Charge quase Cartoon | Charge

Imagem
1991

Poema | Andança para Onde não Sei | Poema

Imagem
2005
ANDANÇA PARA ONDE NÃO SEI (Manifesto contra a Arquitetura do Nada)
Caminho de casa em direção à Matriz Não sei claramente aonde ir, mas sei onde estou Vejo São Francisco: Nova Califórnia: – Tubiacanga! As casas passam sem cor vida traço – terraço, ornamentos, floreios Arquitetura do nada –quase nada resta– atesta o bom senso Becos tortos resistem tortos à tortura – ataque aéreo… O coreto da infância não está na praça: O padre pediu, derrube-se! Passa Getúlio Vargas, vem outro, quem? Correio Casarões Matriz Praça Adro Sítio arquitetônico em pleno centro comercial – vende-se tudo! Tudo, mesmo, parece outro, Cemitério. Sem mistério algum Deixo as almas para trás. Os fantasmas vivos, assombrosos, já me bastam Não vejo as fachadas de 10, 20, dirá 80 anos atrás Vejo a fachada predadora (gafanhotos vorazes) feroz Passam por mim voando rasantes Mais baixos que o sobrado Que sobrou quase ileso na esquina do Sertão Passam duas ou três imagens do que tivemos Em meio a insignificância do que …

Poema | Noção Planetária | Letra

Imagem
POSTAGEM 007

Poema | Construindo | Evaldo Brasil

Imagem
POSTAGEM 006

Poema | Salmo Rasta | Haikai

Imagem
POSTAGEM 005

Taquigrama | Viva e deixe viver | Ilustração

Imagem
POSTAGEM 004

Poema | Jesus Cristo nunca disse Amém! | Evaldo Brasil

Imagem
POSTAGEM 003

Poema | Beleza Legal I Letra

Imagem
POSTAGEM 002

Poema | Segunda Carta para Exupéry | Evaldo Brasil

Imagem
POSTAGEM 001